sábado, 5 de junho de 2021

No Dia do Meio Ambiente, presidente da Fundação Edson Queiroz planta ipê amarelo, árvore símbolo de FortalezaOi

 


Plantar uma nova árvore, no Dia do Meio Ambiente,  tem muitos significados. O ipê amarelo fincado no solo pela presidente da Fundação Edson QueirozLenise Queiroz Rocha, agora ocupa lugar central no campus da Universidade de Fortaleza. O momento encerrou também, neste sábado, 5 de junho, a 14ª Semana Internacional do Meio Ambiente, realizada de 1º a 5 de junho pela Unifor. Representa ainda o compromisso da FEQ com a preservação do meio ambiente e com o desenvolvimento sustentável. 

“A Universidade de Fortaleza esteve sempre à frente do seu tempo.  Se você voltar 50 anos atrás, ninguém imaginaria que poderíamos chegar neste bairro, neste local onde nós estamos. Não é diferente com a preocupação com o meio ambiente, com a pesquisa, com as artes. Então essa é uma grande preocupação nossa e isso veio de pais para filhos e espero para os netos e bisnetos. É com muito orgulho que aqui nós estamos plantando hoje esse ipê, que é símbolo da nossa cidade de Fortaleza, onde foi plantado o símbolo do Brasil, o pau-brasil, há 50 anos atrás”, disse a presidente Lenise Queiroz Rocha.


Ipê roxo amarelo fica perto do pau-brasil (lado esquerdo na foto) plantado pelo criador da Unifor, Edson Queiroz  (1925-1982) (Foto: Ares Soares)


A árvore fica ao lado de outra cujas raízes estão firmes no campus há 50 anos graças ao fundador da FEQ, Edson Queiroz (1925-1982). A flor do ipê amarelo e o pau-brasil são considerados, respectivamente, a flor e a árvore nacionais, desde 1961, por meio do decreto assinado pelo então presidente Jânio Quadros. A árvore que floresce no Ceará a partir do mês de setembro e segue com flores até o início do período chuvoso foi declarada símbolo da capital cearense em março de 2021, após consulta pública.

“A Fundação Edson Queiroz, que completa meio século, tem como uma das premissas básicas o desenvolvimento humano, social e ambiental. O plantio do ipê amarelo tem, portanto, a simbologia do compromisso da Fundação com a proteção ao meio ambiente e promoção da sustentabilidade”, explica o vice-reitor de Extensão e Comunidade da Unifor, professor Randal Pompeu, que participou do plantio do ipê amarelo e do encerramento da 14ª Semana Internacional do Meio Ambiente. Também estiveram presentes a Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Direito Constitucional (PPGD), professora Gina Pompeu, e o coordenador do curso de Engenharia Ambiental, Oyrton Azevedo.


A coordenadora do PPGD, professora Gina Pompeu, e o vice-reitor de Extensão e Comunidade da Unifor, professor Randal Pompeu, também participaram do plantio do ipê amarelo que encerrou a 14ª Semana Internacional do Meio Ambiente (Foto: Ares Soares)


“Além de reforçar o quanto é responsável socialmente e preza pelo desenvolvimento sustentável, a Fundação Edson Queiroz e a Universidade de Fortaleza estão contribuindo para os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. O plantio do ipê amarelo também mostra que a gente deve pensar positivo, que nós temos um caminho muito grande para seguir e que a gente busca solução. Esse ipê está sendo plantado em um novo momento que está surgindo e que a gente tem de ter esperança”, explica o professor Oyrton. O nome que designa o gênero da árvore plantada, tabebuia, é de origem tupi-guarani e significa pau ou madeira que flutua, remetendo à resistência do ipê. A flor do ipê amarelo foi declarada símbolo do Brasil há 60 anos. A árvore dessa espécie foi escolhida em 2021 como símbolo de Fortaleza. 

O ipê-amarelo nativo da região ou caraúba, cujo nome científico é Tabebuia aurea, pertence a espécie da família Bignoniaceae. A árvore possui porte médio a alto e alcança a altura de 5 a 20 metros. A espécie nativa com forte viés paisagístico apresenta floração amarela e oferece um belo espetáculo da natureza, com um grande potencial para arborização urbana.

O ipê amarelo e o pau-brasil que estão na praça central compõem a biodiversidade que recobre o campus da Unifor. São inúmeras espécies como o baobá, as palmeiras imperiais, o cajueiro, o jacarandá, os oitis, os ipês rosa, os dendezeiros e a timbaúba que demarcam a variedade da cobertura vegetal da área da Unifor.


(Unifor.br)