gtag('config', 'UA-149275995-1');

sexta-feira, 29 de janeiro de 2021

Pesquisa revela que dos 9,1 milhões de habitantes no Ceará, 77,4% estão em áreas urbanas e 22,6% em áreas rurais

A população cearense, em 2019, era de 9.166.913 habitantes, dos quais 45,7%, o equivalente a 4.186.221, estavam localizados na região de planejamento da Grande Fortaleza (são 14 regiões no Ceará). Outra região com mais de 1 milhão de habitantes é o Cariri, equivalendo a 11,2% do total. Em seguida, tem-se as regiões do Sertão de Sobral (5,3%), Centro Sul (4,4%), Sertão Central (4,4%), Litoral Norte (4,3%), Vale do Jaguaribe (4,3%) e Litoral Oeste / Vale do Curu (4,1%). As regiões menos populosas são o Sertão dos Inhamuns (1,5%), Litoral Leste (2,2%), Sertão de Canindé (2,3%), Maciço de Baturité (2,7%), Serra da Ibiapaba (3,8%) e Sertão dos Crateús (3,9%).

Até a década de 70, a população cearense residia mais em áreas rurais do que em áreas urbanas. Mas, a partir do decênio de 1980 passou a ocorrer no Estado, de forma acelerada, o processo de urbanização. Isso provocou a inversão do lugar de residência e atualmente maior predominância é da população urbana. O Ceará possui maior concentração em áreas urbanas, com um quantitativo de 7.093.153 pessoas, representando 77,4% do total. Quanto à população rural, esta também tem uma parcela significativa da população cearense com um índice de 22,6% no ano de 2019.

Os números estão no Prad Informe (no 02 – Dezembro/2020) - Perfil demográfico do Estado do Ceará a Partir dos Dados da Pesquisa Regional por Amostras de Domicílio (Prad) lançado pela Gerência de Estatística, Geografia e Informações (Gegin) e a Diretoria de Estudos Sociais (Disoc) do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece). O trabalho é, na verdade, o segundo de uma Série Ipece Prad, formado inicialmente por três publicações (a primeira sobre notas metodológicas, a segunda sobre o perfil demográfico do Ceará – ambas publicadas ontem – e a terceira sobre Insegurança Alimentar). Com o estudo, o objetivo do Ipece é divulgar análises técnicas sobre temas relevantes de forma objetiva, utilizando dados oriundos da Prad/Ceara. Com esse documento, o Instituto busca promover debates sobre assuntos de interesse da sociedade, subsidiando, dessa forma, o planejamento e a formulação de políticas públicas.

FAIXA ETÁRIA

Dentre as muitas análises realizadas pelo trabalho, outro ponto importante diz respeito ao comportamento da estrutura etária da população. Nesse aspecto, os grupos etários tradicionalmente avaliados são os jovens menores de 15 anos, os adultos ou população em idade ativa, 15 a 59 anos, e a população idosa com idade igual ou superior a 60 anos. Para todas as áreas geográficas analisadas, verifica-se que a maior parcela da população possuía idade entre 15 e 59 anos. No Ceará, este percentual correspondeu a 63,5% da população, vindo em seguida o grupo etário dos jovens (20,3%) e o de idosos (16,2%).

As regiões com maiores percentuais de população em idade ativa foram o Litoral Leste (66%), Grande Fortaleza (65,4%), Centro Sul (63,9%), Litoral Norte (63,6%), Litoral Oeste / Vale do Curu (62,3%) e Sertão Central (62,3%). Em relação ao grupo de 0 a 14 anos de idade, destacam-se o Sertão de Canindé (27,2%), Litoral Oeste / Vale do Curu (24,6%), Litoral Norte (24,4%), Sertão dos Inhamuns (23,6%), Sertão de Sobral (23,3%) e Cariri (21,4%). Quanto a população idosa, às regiões com maior prevalência de pessoas nessa faixa etária corresponderam ao Maciço de Baturité (22,2%), Sertão Central (22,2%), Centro Sul (20,0%), Vale do Jaguaribe (19,9%), Sertão dos Crateús (19,2%) e Serra da Ibiapaba (18,5%).

PESQUISA

O trabalho teve como meta analisar aspectos demográficos da população cearense, a partir de dados inéditos disponíveis na Pesquisa Regional por Amostra de Domicílios do estado do Ceará (Prad/CE), que consistiu em uma pesquisa domiciliar, a qual realizou o levantamento de informações socioeconômicas da população do Estado, possuindo representatividade estatística para o Ceará e suas Regiões de Planejamento. Destaca-se que os estudos demográficos têm por objetivo analisar questões inerentes a populações humanas, tais como a sua evolução no tempo, a distribuição espacial, a composição por sexo e faixa etária e as suas características gerais, sendo muito importantes no tocante ao planejamento de políticas públicas.

Neste contexto, foram abordados indicadores relacionados a População total; População segundo sexo e idade; População urbana e rural; Densidade demográfica; População segundo cor ou raça e Estado civil. Ressalta-se que os indicadores têm abrangência geográfica para o Ceará e suas quatorze regiões de planejamento. O estudo, que está estruturado em três seções: Introdução; Resultados e as Considerações Finais, tem como autores os analistas de Políticas Públicas Cleyber Nascimento de Medeiros; Jimmy Lima de Oliveira e Victor Hugo de Oliveira Silva.