sexta-feira, 4 de dezembro de 2020

Mulungu: Justiça Eleitoral cassa registro do prefeito reeleito, Robert Viana

A juíza da 5ª Zona Eleitoral de Baturité, Verônica Margarida Costa de Moraes, na última  quinta-feira, 3, aplicou sentença de cassação do registro de candidatura, por abuso de poder político, ao prefeito reeleito de Mulungu, Robert Viana Leitão (PL); ao seu candidato a vice, Francisco Cleanto Bezerra Uchoa (PP) e à vereadora reeleita e mais votada, Lyziane Cristina Malta Bitar Farias Lima (PL). Pela decisão, Viana e Leitão, também, ficam inelegíveis para os pleitos a se realizarem nos próximos oito anos.

O prefeito de Mulungu já foi preso pela Polícia Federal, em 7 de dezembro de 2016, pela Operação Três Climas, no mesmo dia em que seria diplomado. À época, eleito com 54,54% dos votos no município, o empresário foi acusado de ser sócio em uma das empresas que fez parte do esquema que desviou dinheiro público de fundos destinados à Educação e transporte escolar, em contratos firmados entre 2012 e 2015.

A magistrada de Baturité deferiu pedido de cassação, feito por meio de ação de investigação judicial eleitoral (AIJE), interposta pelo Diretório Municipal do PSD de Mulungu, e a par de parecer do Ministério Público. 

Robert, Cleanto e Lyziane foram denunciados por articularem a gravação de um vídeo, com um servidor em atividade na Prefeitura Municipal de Mulungu, onde apresentam a construção de uma estrada na comunidade da Palha. A atuação eleitoreira ficou caracterizada, como ato que visou o desequilíbrio do pleito, utilizando-se a máquina e orçamentos públicos.